MOMENTO ECONÔMICO AQUECE MERCADO DE USADOS

A crise econômica, o aumento do desemprego, a inflação, a redução do trabalho formal e o poder de compra do consumidor reduzido, tem afetado milhões de brasileiros nos últimos meses, enfraquecendo as vendas em diversos setores. O mercado de móveis foi bastante prejudicado, porém essa situação tem revelado grandes oportunidades para economizar, como por exemplo os móveis usados.

Ao comprar uma casa ou apartamento, logo se pensa em mobiliar esse imóvel e deixá-lo com a sua cara, porém no contexto econômico atual decorar o local com bom gosto parece improvável, por isso muitas pessoas estão preferindo apostar nos móveis usados. Além de seu preço baixo e design exclusivo em diversas vezes, um dos fatores que alavancou esse crescimento foi a mudança de mentalidade do consumidor, que outrora tinha um certo preconceito com esses produtos, e atualmente percebe que os itens em sua maioria são de ótima qualidade e enxerga neles uma excelente opção de economia, que pode chegar a 50%, sem falar da famosa pechincha junto ao vendedor, que pode diminuir ainda mais o valor. Outra vantagem a ser observada, é que o móvel sofre uma menor desvalorização numa futura venda, ou seja, a pessoa terá menos prejuízo ao vende-lo. Os móveis para cozinha, especialmente mesas, balcões, prateleiras, são bastante procurados pelo público, que deve levar em consideração o estado de conservação do produto, a procedência dos mesmos e a qualidade em seus acabamentos.

armarios

Diversas empresas recorrem aos móveis para escritório usados, como solução para a economia no investimento inicial. Escrivaninhas, armários, estantes, cadeiras, poltronas e outros diversos produtos, são encontrados com preços bastante atrativos em relação ao valor cobrado no produto novo. Além de prestar atenção na conservação dos móveis, observá-los com cuidado, a fim de não ter surpresas desagradáveis posteriormente, o empreendedor deve se atentar a ergonomia dos mesmos, pois os funcionários utilizarão no dia a dia.
Outro ponto a ser considerado, é a estética do escritório. Se é um ambiente de advocacia, medicina, contabilidade, os móveis usados rústicos podem trazem esse ar tradicional, vintage, retrô. Já no caso de ambientes mais informais, como agências de publicidade, marketing, moda ou design, pode ser alcançado um aspecto visual criativo, com a customização dos móveis. A proposta que se adapta mais ao segmento e naquilo que se busca apresentar ao público-alvo, cabe a decisão ao empresário.

cadeiras

Por outro lado, há muitas pessoas vendendo seus móveis, seja por mudança domiciliar, perda do emprego, separação conjugal, problemas familiares, dificuldade para pagar o bem adquirido. A motivação mais frequente é a mudança de casa, onde muitas pessoas não têm como guardar ou transportar os móveis e a melhor opção é vendê-los, conseguindo um bom dinheiro, ou até trocá-los por outros móveis que se adaptem ao novo imóvel.

A tendência da preocupação com a sustentabilidade que se encontra presente em diversas áreas de negócio, é outro fator determinante no aquecimento do mercado de móveis usados. A aquisição ou venda dos mesmos significa poupar madeira, economizar tinta e outros materiais, contribuindo para o meio ambiente. Essa prática é elogiada por diversos profissionais renomados, principalmente arquitetos, decoradores e paisagistas.